Varíola dos macacos pode levar à cegueira

Pernambuco superou a marca de 200 casos positivos para varíola dos macacos. Os principais sintomas da doença são: febre, calafrio, dores no corpo, dor de cabeça, entre outros. Porém, alguns sinais podem ser sinalizados através da visão. De acordo com o oftalmologista Alexandre Ventura, diretor do Instituto de Olhos Fernando Ventura, quando a vista arder, lacrimejar e estiver avermelhada, pode ser um alertado problema, que pode levar à perda de visão.

“A varíola dos macacos pode causar alguns problemas nos olhos, assim como outras inflamações virais. A perda da visão pode acontecer, em raros casos, desde que o paciente não cuide bem dessa área do corpo durante a sua doença”, explicou Alexandre.

A “monkeypox”, como tem sido chamada a varíola fora do Brasil, lembra a catapora. Em ambas as doenças, a inflamação ocular pode ocorrer, de foram leve. Mas, dependendo da “força” dessa patologia, a idade, e o histórico de doenças, o médico Alexandre Ventura destaca que pode ocorrer um aumento dos gânglios linfáticos perioculares e formação de vesículas na região palpebral, evoluindo para uma conjuntivite.

Essa conjuntivite pode levar um foco ocular na conjuntiva ou na córnea. São nesses lugares que o vírus pode começar a reproduzir e levar até uma úlcera de córnea, provocando até uma perda de visão. Basicamente, você vai ter uma inflamação viral, que ocorre quando você tem um contato com a vesícula que acontece o contato com o olho. Se você conseguir deixar livre esse órgão, não terá grandes complicações”, acrescentou o diretor do IOFV.

Alexandre Ventura destaca que a automedicação, ou seja, usar medicamentos por conta própria sem a orientação de um profissional, pode atrapalhar no tratamento da doença. Outra dica para eliminar a varíola é a prevenção, com a procura de um clínico ou oftalmologista após os primeiros sintomas. Além disso, o especialista destaca outros cuidado sem relação à doença. “Evite coçar a lesão para não causar outras. Se você leva com a mão o produto daquela lesão é um perigo. Lubrifique bem o olho, existem colírios lubrificantes ou soros fisiológicos. Lave a mão com frequência. O paciente deve ser isolado, pois a varíola dos macacos é contagiosa”, concluiu Alexandre Ventura.

telefones

Redes Sociais

Contato


    IOFV – Instituto de Olhos Fernando Ventura © 2022 – Todos os direitos reservados – Política de Privacidade
    IOFV – 021.145.158/0001-20 | CEVIPE – 13.436.962/0001-30
    Desenvolvido por Sale Marketing